Por que alguns tentam, pela ciência, justificar suas convicções religiosas? Realmente não entendo. É como se pela religião se procurasse justificar a lei da gravidade. Aliás, me ocorreu que isso é bem típico de sociedades primitivas: as mitologias. Eram explicações transcedentais para os fenômenos naturais.
As religiões primitivas serviam em grande parte para explicar os fenômenos naturais e fazer com que os seres humanos estivessem em sintonia com o ambiente em que viviam. Mas para que serve a religião?
Há muito se discute a origem da palavra religião e nos séc III e IV, chegou-se à relação da palavra latina religio à palavra religare (Lactâncio e Agostinho de Hipona). Assim, pode-se depreender que a religião teria como propósito religar os seres humanos a Deus. E é realmente interessante notar que nenhuma religião se limita a estabelecer apenas um conjunto de valores e normas de conduta, mas além disso trazem uma conexão com a idéia de divindade. Porém, as religiões primitivas utilizavam a religião como forma de interpretação dos fenômenos da natureza. Para os indígenas o sol e a lua eram divindades. E a questão das oferendas mostram que até mesmo os indígenas do mundo novo tinham noção de débito à divindade. Os gregos tinham de alimentar seus ancestrais defuntos, para que fossem protegidos.
De certa forma, o Estado tentou se fazer substituto dessa divindade - ainda na figura do Rei, depois como aquele que provê o necessário para que os seus protegidos vivam bem - ou apenas vivam. E nós, até hoje, pagamos os tributos.
Mas voltando à questão anterior: a ciência trata de explicar fenômenos físicos e sociais de acordo com sua metodologia própria. A religião cuida de outra coisa: da salvação. Sim, isso mesmo. Sem a religião, você pode ser uma boa pessoa, pode tirar boas notas, pode arrumar um bom emprego... não é pra nada disso que a religião serve. A religião serve para a salvação, o religare. A religião trata da verdade, do sentido da vida.
Já a ciência, se aceitar que há uma verdade, não evolui. E as teorias, que são apenas verossímeis, têm de evoluir. A ciência pode até estar em busca da verdade, mas não pode julgar já tê-la encontrado. E se alguém for querer buscar o sentido da sua vida na ciência, vai ter várias frustrações, porque o que ele pode ter achado que era o sentido da sua vida, será contestado por outras teorias, mais verossímeis.
A ciência é útil à sociedade; a religião é útil à sua alma - e aí você poderá ser livre para exercer a ciência do modo como deve ser exercida, aceitando as suas evoluções sem ficar frustrado e cheio de indagações existenciais.